quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Próprio por si só




Mantenho meus pensamentos tranquilos em meio a desordem da minha correria mental.
Tranqüilizo.
Acalmo.Busco a centralização, para que o equilíbrio seja mantido, e para que meus atos não se distorçam perante a minha essência.
Cada um faz seu próprio modo de vivência, suas peculiaridades são tão suas, como o céu é das estrelas, e as manhas dos rouxinóis.
Nossa diversão, por obrigação, mantém-se encaixada conforme o que nos é oferecido, pouco se luta pelo próprio.
Eu respiro, você respira.
Eu vivo, você vive.
Só há espaço para o que é só seu, dentro de si mesmo.
Vivemos juntos num mesmo centro, fazemos tudo na mesma terra, morremos juntos no mesmo pó.
Mesmo entrando em contradição as máximas de eu quero/eu posso, acredito em liberdade, não prego o individualismo, prego o próprio por si só.
Sua capacidade de vontade nunca será por inteira quando exposta ao mundo exterior. Sua capacidade de mudar si mesmo é ilimitada, infindável, infinita...
Apesar de tudo ser realizado de uma forma padronizada e estipulada, nada pode interferir seu mundo de sonhos, razões e pensamentos.

Um comentário:

Ca!0 Cardoso disse...

E que nada interfira... Por que o vem antes já veio... Com relação a isso nao há mais dor! O importante é nao se deixar levar de maneira fácil... nadar contra a corrente é mais difícil e melhor! Nao acaba cedo, mas quando acaba...